O projeto PELD-ILOC (Projeto Ecológico de Longa Duração) conta com uma rede de cientistas brasileiros de várias universidades e organizações no país que atuam na pesquisa da biodiversidade marinha das quatro ilhas oceânicas brasileiras. Nossos pesquisadores trabalham e monitoram a vida marinha ao redor do Arquipélago de São Pedro e São Paulo, Atol das Rocas, Arquipélago de Fernando de Noronha e do Arquipélago de Trindade e Martim Vaz desde 2013. Através do conhecimento adquirido ao longo dos anos, o projeto PELD-ILOC tem um papel fundamental no entendimento dos ecossistemas das nossas ilhas oceânicas, criando assim informações básicas para soluções de problemas ambientais atuais e futuros. O objetivo do PELD-ILOC é pesquisar e promover os resultados obtidos ao longo dos anos para a comunidade científica e sociedade em geral, além de produzir conhecimento para criação de políticas públicas que atuam na proteção biodiversidade ao redor das ilhas oceânicas brasileiras.

Missão

O Brasil possui quatro ilhas oceânicas tropicais: Arquipélago de São Pedro e São Paulo, Atol das Rocas, Arquipélago de Fernando de Noronha e o Arquipélago de Trindade e Martim Vaz. Essas ilhas são extremamente isoladas, com pouco contato humano e têm diferentes graus de proteção ambiental. Naturalmente elas possuem um papel importantíssimo como fontes de biodiversidade não só para o Brasil, mas também para o resto do mundo. Mas mesmo assim elas ainda são desconhecidas para a maioria das pessoas. Por isso, o nosso objetivo principal é aumentar o conhecimento sobre esses locais e divulgar para a população brasileira. Trabalhamos também apoiando as ações do governo para proteger e preservar a vida marinha desses nossos paraísos.

Objetivo do projeto PELD-ILOC

Nosso foco maior é entender como que os ecossistemas marinhos ao redor das ilhas oceânicas brasileiras variam de acordo com as interferências humanas, como por exemplo sob efeitos de pesca, poluição e mudanças climáticas. Para isso, o projeto PELD-ILOC monitora a vida marinha através dos seguintes indicadores:

  • Peixes recifais
  • Estrutura recifal
  • Saúde dos corais
  • Dinâmica das populações de caranguejo Aratu
  • Diversidade genética das zooxantelas em corais
  • Efeitos dos peixes no ambiente recifal
  • Diversidade e abundância dos invertebrados, como os ouriços do mar
  • Detecção de dinoflagelados tóxicos
  • Peixes e tubarões de ambientes mesofóticos, através da técnica com iscas: Baited Remote Underwater Videos (BRUVs)

Expedições

Pesquisa

Estrutura de comunidade de peixes recifais ao longo do tempo
Diversidade genética das zooxantelas em corais
Estrutura das comunidades bentônicas ao longo do tempo
Efeitos dos peixes no ambiente recifal
Dinâmica das populações de caranguejo Aratu
Diversidade e abundância dos invertebrados, como os ouriços do mar
Monitoramento da saúde dos corais
Peixes de ambientes mesofóticos através da técnica: Baited Remote Underwater Videos (BRUVs)

Novidades

Nova reportagem na revista The Marine Biologist

2020, junho
+++ Mais

Nova reportagem na revista National Geographic Brasil

2020, junho
+++ Mais

I Workshop de Integração de Séries Temporais de Ecos...

2020, fevereiro
+++ Mais
UFSC UFSC

Apoio e Parceiros

TOP